O presidente da Câmara Municipal de Dourados, Alan Guedes (Progressistas), divulgou nota no início da noite deste domingo anunciando a confirmação de mais um caso de servidor testado positivo para o novo coronavírus e também a suspensão das atividades da Casa de Leis.

Diz a nota: “Desde a declaração da pandemia da Covid-19 a Câmara Municipal de Dourados tem realizado ações internas com o objetivo de mitigar os seus efeitos entre os servidores e membros do Poder Legislativo. Incentivamos e determinamos o teletrabalho, liberamos o registro de frequência e dispensamos os servidores com mais de 60 anos. Suspendemos eventos e adquirimos máscaras para os servidores. Passamos a realizar as sessões e audiências públicas de forma remota, com transmissão pelo YouTube e pelo site institucional (www.camaradourados.ms.gov.br)”. Com o expressivo aumento de casos em Dourados novas medidas serão tomadas.

Mais adiante, a nota informa que neste domingo, o presidente Alan Guedes recebeu a confirmação das autoridades de saúde que uma segunda servidora do quadro de pessoal testou positivo para a Covid-19. Trata-se de um contato próximo ao primeiro caso, já confirmado no sábado. O dia 20 de maio foi o último trabalhado pela servidora, que já está em quarentena, assim como todos que com ela mantiveram contato.

“Seguimos, mais uma vez, todas as recomendações da Vigilância em Saúde e do Comitê de Gerenciamento de Crise do Coronavírus”, reforça a nota.Diante do caso, a Mesa Diretora decidiu que a Câmara Municipal de Dourados de ficará fechada entre os dias 1º e 5 de junho, “sendo permitido acesso apenas aos servidores que, por sua imprescindibilidade de funções, tenham tal necessidade”.

Segundo Alan Guedes, a 4ª Brigada de Cavalaria realizará a desinfecção de todas as dependências da sede do Poder Legislativo, e a Vigilância em Saúde promoverá a testagem de servidores e vereadores – dentro do que preconizam as autoridades sanitárias.

De acordo com a nota, a 18ª Sessão Ordinária, prevista para esta segunda-feira (dia 1º de junho), não será realizada.”Não haverá qualquer prejuízo para a atividade legislativa, visto que a sessão será oportunamente reposta. Qualquer matéria de caráter urgente relacionada à pandemia, que porventura precise ser apreciada entre os dias 1º e 5 de junho, será feita via sessão extraordinária remota, ressaltando que isso não gera nenhum pagamento adicional aos edis”, diz a nota oficial.

Nesta segunda-feira, em conjunto com o porta-voz do Comitê de Gerenciamento da Crise, Frederico Weissinger, devem ser conhecidos mais detalhes sobre as ações realizadas pela Câmara Municipal de Dourados.