O Laboratório de Pesquisas em Ciências da Saúde (LPCS) da UFGD começou a funcionar oficialmente nesta segunda-feira (25/05) e já recebeu 53 amostras para análise. Segundo a professora responsável pelo local, Herintha Coeto Neitzke Abreu, o material coletado é oriundo da empresa JBS e deve ter resultados prontos em até 48 horas. A equipe, que hoje conta com técnicos de laboratórios das faculdades de Ciências da Saúde (FCS) e de Ciências Biológicas e Ambientais (FCBA), terá condições de analisar cerca de 50 amostras de material coletado por dia.

Para isso, todo o espaço teve que passar por adequações, conforme recomendações sanitárias municipal e estadual. A ideia, também, é que o Laboratório analise as amostras oriundas do serviço de testagem para covid-19 via drive thru de Dourados, que agora passará a funcionar de segunda a sexta-feira, conforme informações do governo estadual, no quartel do Corpo de Bombeiros Militar de Dourados, localizado na avenida Presidente Vargas, 1167, Vila Progresso.

A parceria entre a Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso do Sul e a Universidade, com destaque para as pró-reitorias de Administração e de Pós-graduação e Pesquisa, além de conceder maior celeridade aos resultados dos testes, promoverá o desafogamento do Laboratório Central (LACEN), em Campo Grande, até então responsável pela análise de todas as amostras coletadas nos quatro pontos de drive thru do estado – Dourados, Campo Grande, Três Lagoas e Corumbá.

Para a participação na testagem, a UFGD conta com a colaboração do Hospital Universitário da UFGD (HU-UFGD), que tem cedido roupas privativas, sapatos impermeáveis e profissionais especializados da área da saúde. Os insumos para uso do LPCS, em sua maioria, foram adquiridos pela Universidade, mas também houve montante repassado pelo LACEN e doado por docentes que realizam pesquisas no laboratório.

Com 300 metros quadrados de área, o Laboratório de Pesquisas em Ciências da Saúde (LPCS) foi inaugurado no início de 2014 como Laboratório Multiuso da UFGD. A estrutura foi construída com apoio da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações mediante termo de cooperação 04.10.0259.