O ministro estará reunido com autoridades de saúde de Mato Grosso do Sul. (Foto: Ministério da Saúde)

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, vem a Campo Grande na próxima segunda-feira (22) para anunciar mais de R$ 166 milhões de investimentos na saúde para Campo Grande e outros 56 municípios do Estado. Com a articulação do Governo do Estado junto ao Ministério da Saúde, serão habilitados em 13 cidades diversos serviços oferecidos à população por meio do SUS (Sistema Único de Saúde), como leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e centros de atendimento psicossocial.

Do montante total, R$ 13 milhões serão destinados à ampliação da Unidade de Atenção Especializada em Saúde  do Hospital Regional de Mato Grosso do Sul. O projeto contempla a ampliação de 30 novos leitos de internação clinica e cirúrgica, 10 leitos de UTI adulta e a ampliação do setor de Reabilitação, em especial para pacientes ortopédicos. Será reformada Farmácia, Almoxarifado, Central de Medicamentos e Área de Apoio Logístico e Técnico. Anexo ao hospital, um novo bloco será construído para alocar esses setores.

Só de emendas parlamentares serão liberados para Mato Grosso do Sul mais de R$ 48 milhões, sendo R$ 30 milhões de emendas individuais, entre elas três emendas propostas pelo atual secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, enquanto ainda era deputado. Com as emendas de Resende, serão destinados R$ 735.250 mil para compra de equipamentos e custeio de unidades hospitalares de três municípios: Água Clara, Naviraí e Japorã. No total, mais de 50 municípios serão beneficiados com as emendas parlamentares.

“No dia da visita do ministro serão concretizados importantes investimentos na saúde do nosso Estado. Além da habilitação de muitos serviços, o que garante o custeio do Ministério da Saúde, serão pagas as emendas parlamentares, um incentivo de extrema importância para as cidades”, disse o secretário de Saúde, Geraldo Resende.

Serão habilitados no Estado diversos serviços de atendimento à saúde que vão beneficiar 13 municípios, no valor de R$ 16.642 milhões. Entre as demandas de ações e serviços haverá incremento de leitos de UTI adulto e pediátrico, repasse de recursos para SAMU, CAPS (Centro de Atenção Psicossocial), incluindo os indígenas, postos de assistência médica, policlínica de atendimento à mulher, entre outros.

Antes de voltar a Brasília, o ministro cumpre outros compromissos na Capital como entrega de caminhões e lançamento da Campanha de Vacinação de Hepatites realizada pela Sesau (Secretaria Municipal de Campo Grande).