Produtores conhecem drone para pulverização e semeadura de grandes propriedades

Equipamento evita perdas por esmagamento, aumenta produtividade e diminui custos com manutenção e combustível

-

No início do capítulo 64 da novela Pantanal, da TV Globo, que foi ao ar na última quinta-feira (9), o personagem Jove (Jesuíta Barbosa) ganha um drone, presente de aniversário de sua avó. Quando questionado por sua tia Irma (Camila Morgado) sobre o “brinquedo”, Jove diz que o drone é muito mais que isso, vai otimizar o controle das fazendas, sobrevoando áreas sem gastar combustível. E isso não é apenas ficção. Neste sábado (11), produtores rurais da Grande Dourados conheceram um drone que pode fazer o trabalho de pulverização de defensivo agrícola, semeadura, mapeamento, proporcionando um trabalho mais seguro, econômico e com energia limpa.

Representantes da 3D Agrotech Engenharia e Agrotecnologia estiveram na Fazenda Olho D’Água, zona rural de Dourados, para demonstrar o funcionamento do drone DJI Agras T-30, uma das novidades no segmento. O aparelho é produzido na China, importado pela empresa sediada em São José dos Pinhais-PR e com certificado na Anatel. Esse modelo levanta voo com até 30 litros de defensivo ou 40 kg de sementes. A bateria tem autonomia de aproximadamente 25 minutos e a carga total é feita em até 12 minutos.

A apresentação técnica foi feita pelo engenheiro agrônomo Scheehad Olesko Schafhauser, um dos sócios da empresa. Ele fez desde sobrevoo de demonstração, até pulverização real em uma área de cultivo de milho na propriedade, explicando detalhes de cada manobra e aplicação possível com o equipamento, que trabalha com controle manual de um operador ou automaticamente, cobrindo uma área previamente definida.

“Aplicação é feita de uma altura de até três metros da cultura, direcionando o defensivo com alta precisão, proporcionando economia e redução de até 70% na água utilizada. Além disso, a segurança para o operador é total, já que ele fica longe do produto, evitando risco de intoxicação”, explica. Segundo Olesko, o modelo apresentado é o ideal para as grandes propriedades no Mato Grosso do Sul. “Nos estados do Paraná e Santa Catarina, por exemplo, temos propriedades menores e o modelo T-10 acaba sendo o mais indicado. Para o MS trouxemos o T-30 que é mais robusto, com maior produtividade, atingindo até 126 hectares por dia”.

Retorno certo

Produtores acompanham demonstração do T-30 em cultura de milho (Foto: Rogério Vidmantas)

Para o engenheiro, o retorno do investimento para o produtor é certo, variando entre um e dois anos. “Alguns produtores que nos procuram fizeram os próprios cálculos e, com o uso e prestação de serviços, tinham esse investimento de volta em um ano. Outros com apenas uso próprio, considerando o que se evita com as perdas no esmagamento, esse retorno pode acontecer em dois anos”, explica.

Esse fator favorável é confirmado pelo produtor rural Lúcio Flávio Lutz Cabral, proprietário da fazenda onde foi feita a demonstração. Segundo ele, a perda com esmagamento é, em média, entre duas e três sacas por hectare, prejuízo que, com o drone, seria quase que totalmente evitado, aumentando a produção. “Se ganha de várias formas. Além de se evitar o esmagamento, se economiza com manutenção e combustível para o maquinário”, detalha Cabral.

Também acompanhando a apresentação, Eurides Carlos Rocha, produtor e agrônomo, explica a vantagem na aplicação do defensivo com o drone. “O molhamento é melhor e aumenta a área de cobertura da planta, inclusive atingindo a parte baixa, ou terço inferior, onde, com a pulverização feita tradicionalmente, é a mais vulnerável às pragas”.

Tanto Lúcio Flávio quanto Eurides acreditam que a nova tecnologia vai fazer parte da rotina das propriedades rurais em breve. “É o futuro se aproximando”, concluem.

No Mato Grosso do Sul e Mato Grosso, a 3D Agrotech é representada pela MS Drone, com profissionais capacitados para dar o suporte necessário ao produtor rural na escolha do melhor equipamento. Além disso, na entrega técnica é feito todo o treinamento, o equipamento já vem com o certificado e registro da aeronave. A empresa disponibiliza o número (67) 99258-2660 para contato direto ou por aplicativos de mensagem. “Nós cuidamos de toda parte legal para o produtor se preocupar apenas com o seu trabalho”, completa Olesko.

Controle do drone com imagens capturadas no sobrevoo (Foto: Rogério Vidmantas)