Inmet monitora possível evolução de ciclone para tempestade Yakecan

-

Agência Brasil – Rio de Janeiro

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) informou que a situação do clima na Região Sul do Brasil pode se agravar caso haja a evolução do ciclone subtropical que se formou ontem (16) à noite, em uma tempestade subtropical chamada Yakecan. Conforme a previsão, até a noite de amanhã (18), a Yakecan poderá se intensificar e ser classificada como tempestade tropical. Neste caso, as rajadas de vento poderão superar os 110 quilômetros por hora, do extremo sul e leste do Rio Grande do Sul para o litoral sul de Santa Catarina.

Segundo o Inmet, a onda de frio continuará atuando no Centro-sul do Brasil nos próximos dias. Nesta madrugada houve formação de geada em grande parte do Paraná, incluindo a capital Curitiba e a região metropolitana, além do sul de Mato Grosso do Sul e de São Paulo. As temperaturas registram quedas mais acentuadas em áreas das regiões Centro-Oeste e Sudeste, mas podem atingir o sul da região Amazônica, “configurando o segundo episódio de friagem neste mês de maio”, informou o instituto.

Para amanhã, permanece previsão de ventos fortes no leste e litoral gaúcho, e litoral sul de Santa Catarina com rajadas acima de 110 km/h. “No final do dia os ventos tendem a diminuir de intensidade”, completou o Inmet. Há previsão também de formação de geada no centro-norte do Paraná; em São Paulo, especialmente na Serra da Mantiqueira e Vale do Paraíba; no triângulo e centro-sul de Minas Gerais; no Mato Grosso do Sul e no sul de Goiás.

“Estas condições persistem, pelo menos, até o final de semana quando volta a ter condições de geada no Sul do país. Segue a condição de neve até a próxima quarta (18) nas serras Gaúcha e Catarinense e sul do Paraná”, completou. O Inmet também prevê neve em áreas do Sul.

Sudeste

Embora com menos intensidade, há possibilidade de até o fim de semana ocorrer o deslocamento para a Região Sudeste do sistema da Yakecan com rajadas de vento que podem superar os 100 km/h. O Inmet informou que o nome da tempestade significa o som do céu em tupi-guarani.